Os Florais de Bach e a AIDS

 

Falemos da ação dos Florais de Bach ligada à idéia espiritual da AIDS e seu conseqüente efeito físico, devastador ou reorientador, dependendo da consciência de cada um. Para isto será necessário ter-se uma idéia clara da síntese de cura encontrada pelo Dr. Bach.

Sua história de vida, como um caminho de evolução e dádiva, mostra-nos o tamanho de sua sensibilidade e amor pelo próximo. Este poderia ser, inclusive, um novo paradigma para as pessoas, pois um coração puro e cheio de amor é fonte de constante radiância e estímulo para a manutenção da existência e da saúde.

Dr. Bach viveu desde o princípio, quando pesquisador e bacteriologista, o desagrado e a preocupação de ver os doentes sofrerem, às vezes, mais com o processo de cura do que com os sintomas da própria doença; como era, por exemplo, o caso da sangria, ao purgar o sangue. Descobriu, então, que nem todos os pacientes, com a mesma doença, reagiam da mesma forma, embora o medicamento e a dosagem fossem os mesmos para ambos. Acabou concluindo que, além das possibilidades físicas havia um outro fator, altamente significativo,o ponto vetor responsável pelo desencadeamento da energia de cura e restauração.

Chegou finalmente à conclusão de que PREOCUPAÇÕES, ANSIEDADE e IMPACIÊNCIA eram os fatores responsáveis pelo desgaste da vitalidade ou energia individual, levando o corpo a baixar a RESlSTÊNCIA IMUNOLÓGICA, ficando vulnerável a infecções e outras doenças.

O ideal seria evitar que o estado de desarmonia chegasse a se instalar, mas uma vez manifestado fisicamente, deveria ser extirpado pelo fator de causa e não de efeito.

Assim, o movimento básico para auxiliar a cura de uma doença, seria eliminar sua causa.

No caso da AIDS pode-se encontrar num trabalho realizado pela psicóloga Louise Hay, no livro “Cure seu corpo”, o conceito de que as doenças venéreas são geradas mentalmente pela culpa ligada à sexualidade, medos e insegurança nessa área. E é exatamente essa postura mental que abre as portas para a baixa imunológica e a manifestação de quaisquer invasores...

Pouco antes de descobrir os Florais, o Dr. Bach viu-se acometido de um câncer terminal, dando-lhe os médicos, após a operação, alguns meses de vida. Desesperado por finalizar, antes de morrer, suas pesquisas sobre uma nova vacina, ele praticamente fugiu do hospital e acabou por trancar-se em seu laboratório, onde trabalhou sem interrupção, totalmente absorto no que lhe interessava. Após algumas semanas, médico que era, percebeu estar curado do mal que deveria exterminá-lo. Com isso compreendeu que o gerador da cura está no âmago do Ser e não no físico e que, quando nos absorvemos em algo que nos apaixona, transcendendo-nos, todo o resto fica em suspenso e completamente equilibrado. O bem estar, a alegria, o amor geram harmonia e um bom estado de saúde.

Com os Florais tentou eliminar o mal através do seu contrário. No caso da AIDS o ponto básico a ser trabalhado é o trauma gerado  por alguém saber,  de repente, que seus dias podem estar contados. Isso assusta muito as pessoas. Na verdade, os dias de qualquer um estão contados, desde que se nasce. Já quando acontece o primeiro vagido as células começam a se desenvolver, morrer, sendo repostas automaticamente, no eterno reciclar da vida. Mas quando uma doença torna-se um estigma social, quando discrimina o doente como se fosse pecador, culpado por ter pego aquela moléstia, a coisa fica mais difícil. Na verdade, não existe em si, qualquer diferença entre desencarnar vítima da AIDS, esclerose múltipla ou de um acidente de avião. Os dois últimos podem ser bem mais dolorosos e devastadores, em suas circunstâncias, embora não levem o carimbo de “culpa”.

Por isso, o primeiro cuidado com o dito "aidético"( que talvez não o seja, pois já se está provando que não existe uma doença chamada AIDS...) é trabalhar para amenizar seu trauma. Ele deverá ter consciência de que não é um criminoso social, sodomita  pecador e abjeto e que agora foi descoberto para ser publicamente castigado. Na verdade, ninguém é culpado de nada. Mesmo aqueles que possam ter facilitado a doença por descuido ou

displicência, não são culpados. Só o fizeram por ignorância e  precisam perdoar-se. Este é o segundo ponto que deve ser trabalhado. Gostar de si  mesmo e perdoar a si e ao mundo. Não se sentir cuIpado de nada; estar de bem com a vida, sem se preocupar com sua duração na matéria.

É fundamental, também, tomar consciência de que a Vida é eterna. Esta passagem pela Terra traz-nos apenas mais uma oportunidade de viver experiências, sejam positivas ou negativas, fáceis ou difíceis, mas sempre necessárias ao crescimento e evolução pessoais.

A certeza do “continuum” da vida facilita a aceitação dos mais variados fatos e o desenvolvimento da Fé, fator imprescindível no Caminho.

O grande segredo é viver cada instante integralmente. Estar presente aqui e agora e não ter passado nem futuro; e nenhuma razão para preocupar-se. E livrar-se das correntes das lembranças, geralmente dolorosas, que costumamos arrastar no nosso dia a dia como se não pudéssemos nos livrar delas, apagá-las. E no entanto, exceto por nossa memória, o ontem não existe e o amanhã ainda não nasceu. A única realidade palpável é o Agora, o momento presente. Aproveitá-lo é ser sábio. Nele plasmamos o futuro e filtramos as luzes do passado. É possível ser feliz. E agora!

Para conseguir viver o Agora adequadamente basta manter-se atento a tudo que aconteça dentro e fora de si mesmo. Disse um grande mestre: “A atenção é a primeira chave do conhecimento”. Estar atento é estar presente. Estar presente é realmente estar vivo.

Depois de aprender a manter-se atento, o próximo movimento é curtir a vida, desde as coisas mais simples, o máximo possível, de corpo e alma, sentindo e amando a tudo e a todos.

Sob um ponto de vista mais espiritual, tanto a AIDS como outras "doenças"... tidas como mortais, podem ser uma grande oportunidade de auto-conhecimento e evolução; ou de desesperança e destruição, para quem não compreende.

Vibro para que a maioria dos seres que estão passando por esta forte experiência, escolham o caminho destemido da luta pela clareza, com a certeza de que poderão trabalhar e aproveitar este desafio para encontrar, reconhecer e viabilizar a Divindade Radiante que habita cada Ser humano! Deus abençoe a todos! Vitória! A Vida continua!  

Kimara Ananda

Terapeuta Holística                                                                                           Voltar ao  topo

kkimara@ig.com.br